07/12/2017 às 10:07

Pesquisa mostra que o endividamento dos cuiabanos atingiu o menor nível em novembro

A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada pela Fecomércio-MT, mostrou uma redução das famílias nesta situação, em valores absolutos, de 3,6% em relação ao mês de outubro (114.592 famílias) e de 10,5% se comparado com o mesmo período do ano passado (123.470 famílias).

O nível de endividamento das famílias cuiabanas atingiu o menor nível no ano e chegou a 57,4%, o equivalente a 110.431 mil famílias com algum tipo de conta parcelada. A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), e divulgada nesta terça-feira (05/12), pela Fecomércio-MT, mostrou uma redução das famílias nesta situação, em valores absolutos, de 3,6% em relação ao mês de outubro (114.592 famílias) e de 10,5% se comparado com o mesmo período do ano passado (123.470 famílias).

A Peic apontou ainda que, para as famílias que possuem contas em atraso (inadimplentes), também houve redução de um mês para o outro, saindo de 28,3% em outubro (54.321 famílias) para 27,2% em novembro (52.318 famílias). O percentual é ainda menor ao se comparar com o mesmo mês de 2016, quando se registrava 31,4% em outubro de 2016 (59.657 famílias).

Entretanto, houve aumento na variação mensal do índice para as famílias que alegaram não ter condições de pagar as contas, que subiu de 13,6% em outubro (26.145 famílias) para 14,1% em novembro (27.198 famílias). O aumento também foi observado na variação anual da pesquisa, de 10,7% (123.470 famílias) registrado em novembro de 2016 para os atuais 14,1%. 

Uso do cartão de crédito já é maior do que no ano passado

O uso do cartão de crédito aumentou novamente em novembro e lidera como o principal tipo de dívida dos cuiabanos (64,9%). O patamar atual já é maior ao registrado em novembro de 2016, quando 64,5% das famílias tinham como principal tipo de dívida o cartão de crédito. Os carnês vêm em seguida com 36,9%, que também já possui um percentual maior se comparado com o mesmo período do ano passado (34,7%).

Tempo com dívidas diminui de um ano para outro

Para as famílias que se encontram endividadas, o tempo para quitar as dívidas parceladas tem diminuído e chegou a 6,6 meses em novembro, contra 6,7 meses em outubro. O nível é ainda menor se comparado com o mesmo período do ano passado, quando eram necessários 7,2 meses para pagamento das dívidas.

Dentre as famílias com contas em atraso, o tempo para o pagamento diminuiu de outubro para novembro, de 70,9 dias para 69,8 dias. Na comparação com novembro de 2016, o tempo para pagamento era inferior e chegava a 60,6 dias.  

Para o presidente da Fecomércio-MT, Hermes Martins da Cunha, “a diminuição do número de famílias com dívidas em Cuiabá, se deve ao fato da maior empregabilidade dos últimos dois meses. Com a fonte de renda recuperada, os cuiabanos passaram a pagar as contas atrasadas, mas o ritmo de melhora na economia ainda não foi suficiente para apresentar um resultado melhor”. Apesar disso, a perspectiva do presidente para o próximo ano é positiva. “A retomada do crescimento econômico já tem ocorrido a alguns meses, de forma ainda tímida, o que mostra cautela das famílias na aquisição de novas dívidas. Entretanto, a geração de emprego e a melhora da renda das famílias são fatores primordiais na melhora dos índices da Peic para os próximos meses”, afirmou Hermes Martins.

 

Fonte Fecomércio-MT

 

Sobre o Sindicato

Sindicato dos Representantes Comerciais no Estado de Mato Grosso


Serviços