19/04/2017 às 17:48 - Atualizado em 19/04/2017 às 17:49

SIRECOM-MT e representantes do setor de bedidas reúne com secretário de fazenda

Divulgação

O Sindicato dos Representantes Comerciais do Estado de Mato Grosso - SIRECOM-MT,  representantes comerciais do ramo de bebidas e autoridades e empresários do setor atacadista e distribuidor,  estiveram reunidos, no dia 17/04, com o Secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado de Mato Grosso, Gustavo de Oliveira, na Secretaria de Estado de Fazenda, para debater  a alta carga tribittária que incidem sobre as bebidas no  Estado. O encontro contou com a presença dos deputados Oscar Bezerra e Dilmar Dal Bosco.

Atendendo à demanda dos empresários, a Sefaz realizará um novo levantamento do preço de pauta de bebidas quentes para avaliar se haverá necessidade de rever os valores.

O secretário adjunto de Receita Pública, Último Almeida de Oliveira, avaliou que novos cálculos devem ser feitos para deliberar novas pautas dentro do setor. Vamos fazer um levantamento do preço de bebida quente para verificarmos se houve variação ou não. Vamos fazer um estudo com a solicitação feita pelo segmento sobre a viabilidade de se manter ou não a pauta, afirmou.

O adjunto lembra que a criação da pauta se deu em função da necessidade de evitar a evasão da arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Segundo o presidente do SIRECOM-MT, José Pereira Filho, a Frente Parlamentar em Defesa do Comércio de Mato Grosso, coordenada pelo deputado Oscar Bezerra, tem trabalhado arduamente, e junto com os sindicatos vem debatendo com o governo uma solução para rever a alta carga tributária que incide sobre a categoria.

De acordo com o presidente do Sindicato do Comércio Atacadista Distribuidor do Estado de Mato Grosso - SINCAD, Sérgio José Gomes,  a venda de bebidas hoje no estado é pífia devido a enorme carga tributaria estadual, resultado de uma pauta de preços inexequível e é necessário se fazer algo  para que o segmento de bebidas seja viabilizada. "Dados oficiais demonstram que de 2015 a 2016, houve uma queda de 57% no setor atacadista de Mato Grosso. O mercado varejista não apresenta  esta mesma queda, existem duas possibilidades:  foi e esta sendo abastecidos pelo atacadista externo com carga menor, e ou no mercado informal", destacou Sérgio.

Também estiveram presentes na reunião - O vice-presidente da Federação do Comércio, Bens e Turismo, Roberto Peron,  o presidente da Associação Matogrossense de Atacadistas e Distribuidores - AMAD, João Carlos Sborchia, o representante comercial, Enio Dalalio Júnir, da Vinícola Aurora o diretor da AMAD, Sebastião Gonçalves e o secretário executivo da AMAD, Marcos Taveira.

Fonte: SIRECOM-MT com Assessoria